sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Vichyssoise, sopa fria de alho poró e batata

Por Luciana Betenson

A vichyssoise provavelmente disputa como o gazpacho o título de sopa fria mais famosa do mundo. Ela leva alho poró, batata, caldo de frango e creme de leite, com pequenas variações sobre o tema.

Sua origem é controversa, pois há duas versões a respeito. A primeira diz que o criador desta sopa fria foi o Chef francês Jules Gouffé, que publicou sua receita no livro Royal Cookery em 1869. A segunda versão é que a sopa teria sido criada em 1917 pelo Chef do Hotel Ritz-Carlton de Nova York, Louis Diat. Ele diz que se inspirou na sua infância, quando ele e o irmão costumavam ‘assaltar a geladeira’ e comer a sopa de batatas e alho poró feita no dia anterior pela mãe, fria mesmo, com um pouco de leite.  Porém, o mais provável é que Diat tenha emprestado o conceito da velha geração de chefs franceses e o inovado servindo a sopa fria. O nome vichyssoise teria vindo do Balneário de Vichy, cidade francesa próxima à cidade natal de Diat, Montmarault.

Minha versão da vichyssoise está abaixo. Ficou muito gostosa, e faz toda a diferença se você a fizer com um caldo de frango caseiro. Ficou bem grossa, mas se você preferir uma sopa mais rala, use mais meio litro de caldo de frango para cozinhá-la. Deixe para acertar o sal ao final.



Vichyssoise

4 alhos porrós fatiados
1 cebola grande picadinha
2 col (sopa) de manteiga
2 batatas grandes, sem casca e em cubos
1 litro de caldo de frango
2 col (chá) de sal
½ litro de creme de leite fresco

Refogue a cebola e o alho porró na manteiga. Adicione a batata e o caldo do frango fervente e deixe cozinhar por mais ou menos meia hora até a batata e o alho poró ficarem macios. Deixe esfriar um pouco e bata tudo no liquidificador. Acerte o sal. Junte o creme de leite e leve para gelar. Sirva bem geladinha.

8 comentários:

Joana G. disse...

foi o primeiro prato que o namô preparou para mim! =)
naquela época eu ainda não era muito adepta das sopas frias!

linda apresentação!
beijos!

Amehlia Digital ! ® disse...

Luh!
Todo pratin fica chique purdimais aqui...até uma sopinha =)
Vô tê quí trená muito prá falá o nome dela..=D
Eu prefiro assim, mais grossinha...pode cumê cum pãozin ou perde u gramur?! :) preciso aprende comcê fia...
Um bejim,
da Vinni

Luciana Betenson disse...

Ai Joana, achei super romantico isto ... :-) Vinni, claro que pode ocmer com pao, fica uma delicia :-) Beijos!!

Quarto de Despejo disse...

Nossa, tá com uma cara ótima!
E adorei essa sopeira com esse lugar para apoiar a concha!

me conta uma coisa: como vc faz o caldo de galinha? :O

Bj,

Lucia

Valéria Braidotti disse...

Nossa!!! Amei tudo aqui. Quanta coisa linda e gostosa... Queria uma ajudinha: quando sirvo tira-gosto, o que devo colocar na mesa: palitos? guardanapos? É errado pegar o tira-gosto com as mãos? Como comer tremoços, azeitonas, amendoim??? Beijoooo!!!!

Figos & Funghis disse...

Adorei a receita Lú. Estava com saudades das suas receitas já.
Bjinhos

Luciana B. disse...

Lucia, eu faço o caldo de galinha do curso da Wilma Kovesi, tem no livro Receitas para todo dia (e para os outros também). É fácil, não tem mistério, fervo uns 3 kgs de carne e ossos de galinha com uma cenoura, uma cebola, um alho poró, um bouquet garni, grãos de pimenta e sal a gosto. Um beijo!

Luciana B. disse...

Valeria, não sou muito especialista em tira-gostos não... rsrsrss! Nós aqui em casa comemos com a mão mesmo as azeitonas! A textura delas não permite espetá-las com palito, pois a massa é "esfarelenta". Coloco sempre guardanapos, pois as mãos ficam engorduradas mesmo, não tem jeito. Um beijo!